5 minutos

5 minutos 16/NOV - Ana Lúcia Zalaquett

Eu vivo me perguntando como a gente consegue arrumar tempo para tocar o trabalho, cuidar do corpo, dos filhos, do casamento, da casa, dos pais, dos amigos... ufa! Deu até uma acelerada no meu coração agora. 

Um dia, há muitos anos, fui convidada a fazer um trabalho bacana que demandaria um tempo considerável e minha primeira reação foi tentar da maneira mais humilde responder à pessoa que naquela época era o meu guru profissional que eu não teria tempo para aquilo e não faria o trabalho da maneira que ele merecia. No mesmo instante ele, muito gentil e direto, ele simplesmente olhou bem nos meus olhos e disse: “Ana, quanto menos tempo temos, mais tempo arrumamos. Faça esse trabalho. Eu pediria a outra pessoa se não achasse que você fosse capaz”. Nunca me esqueci disso.

Minha amiga, os conflitos que eu tenho dentro desse coraçãozinho acelerado aqui são de ordem estratosférica e deixariam qualquer psicólogo maluco. Tenho certeza que você tem os seus e tem hora que dá vontade de jogar tudo para o alto, dar um grito, ou até mesmo se trancar dentro de um quarto e simplesmente desligar por um tempo. 

Então, eu pergunto para você: por que continuamos acumulando cada vez mais desafios? Por que simplesmente não diminuímos nosso ritmo, não ficamos confortavelmente dentro da nossa zona de conforto, sabendo que no final do dia vamos deitar tranquilamente e dormiremos com os anjinhos?

A resposta é: simplesmente não queremos isso. E olha que críticas é o que não faltam, hein? Desde as pessoas que nos acham malucas por assumirmos tantas coisas, até aquelas que acham que nos ocupamos de tantas coisas para esconder algo mais profundo que está escondido e que não queremos enfrentar. Oi? 

Bom, vamos ao que eu quero deixar bem claro nessa conversa. O que me faz sentir viva, é fazer aquilo que me faz sentir viva. Que loucura é essa? O que me faz feliz é agir para que a minha felicidade seja prioridade na minha vida. Quando a gente vai viajar de avião, os comissários de bordo não avisam que em caso de despressurização máscaras de oxigênio cairão sobre suas cabeças? O que devemos fazer? Colocar a nossa e só depois ajudar quem estiver ao nosso lado. Pois então, como posso fazer o outro feliz se eu não estou fazendo a minha parte? 

Permita-se ser feliz, mocinha. Respire. 5 minutos. Sim, 5 minutos. É o que eu sugiro para você fazer ao longo dos próximos 7 dias. Coloque seu celular para despertar durante os próximos 7 dias para que durante 5 minutinhos você simplesmente respire e reflita no que a faz feliz. Se você é feliz, se você realmente cuida de si antes de cuidar de todo mundo que a rodeia, se você mais agradece do que pede, se você mais sorri do que reclama, se suas escolhas feitas lá atrás estão hoje sendo motivo de alegria, então, faça uma longa inspiração e solte o ar deliciosamente dizendo comigo: Sou Feliz. 

Acabei de programar meu celular. E você? 

Por Ana Lucia Zalaquet

O conteúdo da materia é de responsabilidade do colunista.

Foto: magann/Depositphotos.com

 

 
Ana Lúcia Zalaquett

É proprietária do Ecó SPA

Elizabeth Monteiro 2016. Todos os direitos reservados.
Cereja.in